Blog do Sabones - Expediente

Blog do Sabones - Expediente

domingo, 23 de agosto de 2009

"Do tempo de quem?"

“Você já pensou que antigamente as pessoas não sabiam ser felizes e que no futuro ninguém vai respeitar nada que foi construído até hoje.” É lógico que não é verdade, mas é o que sentimos ao nos referir de nossas épocas.

É por isso que acabei escrevendo este texto hoje na parte da tarde. Temos uma tendência de achar que em nossa infância e juventude as pessoas eram mais amigas, as músicas eram melhores, os programas de rádio e TV também. E as festas!!! Aquilo sim eram festas de verdade...

Meus pais cresceram ouvindo o rádio, pois TV, poucos tinham condições de possuí-la, e quem tinha curtiu National Kid, Jota Silvestre, Silvio Santos, entre outros. Ouviram a Jovem Guarda, Frank Sinatra, Beatles, Elvis, Bossa Nova, Nelson Gonçalves, Vicente Celestino e sofriam ao ouvir os jogos de futebol no “radinho” cheio de interferências. Dançaram o twist, as serestas, em bailes de gala nos clubes sociais da cidade, trajando vestidos e terninhos. Ajudavam as mães com as tarefas de casa, os mais ricos freqüentavam a escola até concluir o ensino médio e tinham pouco tempo para brincar na rua e pegar passarinhos na arapuca. Caso acontecesse divórcio entre casais, era um escândalo...um absurdo....uma catástrofe...o fim do mundo!!!!

A minha geração, os que passam dos 30 anos, (risos), curtiram o auge da TV com Vila Sézamo, Bozo, Xuxa, Balão Mágico, Chaves, Chapolin, Silvio Santos, Jaspion, Casal 20, Os Trapalhões, Spectroman e assistiamos em massa a novela Roque Santeiro e ficamos curiosos para saber quem matou Odete Roitman em Vale Tudo. Futebol na TV, só o que a emissora queria passar. Lembra do ATARI e os brinquedos da Estrela? Dançamos o som do rock nacional (Legião Urbana, Barão Vermelho, Paralamas do sucesso, Kid Abelha, RPM...), Michael Jackson, Madonna, A-HA, Pet Shop Boys, Queen e outros. Nossas festinhas eram nas garagens e varandões das casas dos amigos, e os cocktais eram servidos com ponche, Coca-Cola, salgadinhos. Freqüentávamos boites, onde as atrações eram os efeitos de iluminação, tal como o terrível stroble (e aqueles piscas-piscas que nos deixavam tontos), a terrível fumaça que embaçava a visão e os deliciosos Hi-Fi e Cuba Libre. Vestíamos roupas da Company, Speedo e os jeans da Mesbla. Todos iam à escola, os mais ricos nas particulares e os menos favorecidos nas públicas. Poucos eram aqueles que ajudavam em casa e após os estudos, brincar de pique, queimada nas ruas e aderimos a idéia dos pais ao pegar passarinhos e prendê-los nas gaiolas. Já os divórcios começam a acontecer com mais freqüências...

Hoje, na era da informática, a moçada fala sobre msn, orkut, chat’s, online, offline, sites, google, blogs, mp3, mp4, mp5, mp6...meu Deus!...isso é infinito, rsrsrsrs...Memória hoje, não é aquela que está no cérebro e sim o que fica localizada no computador; e a boa, é a que tem mais Gigas... Curtem Hanna Montana, Lost, ah! TV só a cabo e paperview! Com uma imensidão de duzentos e poucos canais. E o futebol!?... Ai que sonho, assistem o que querem. Campeonatos regionais, nacionais, internacionais e se quiser, até os jogos do torneio russo. O Silvio Santos ainda é assistido aos domingos, aliás, até onde vai esse homem? Rsrs.. Na música, coisas eletrônicas com um monte de barulho (uma verdadeira pândega). O funk e o Hip Hop são sucessos no meio da meninada, e o forró ganhou uma projeção super nacional. As festas, vestem bermurdas, camisetas, saias, blusinhas e as vezes nada...rsrsrs... e começam com a farra às 22 hs de uma sexta-feira e terminam às 13hs do domingo, fazendo uso de “balinhas e aguinhas”..., louvação chamada de raves... sou irônico né!? Rsrsrsrs... Estudam na parte da manhã, fazem inglês e informática a tarde, aulas de balet, capoeira e natação no fim da tarde e a noite, musculação, pois a estética vale muito nos “tempos modernos”. Ah! E os passarinhos? Não pode. É crime. Eu concordo com isso, porque o bichinho não fez nada pra ser preso. Ficar casado por mais de 20 anos é raridade, digno de aplausos...

Cada geração vive num tempo distinto da outra, com tendências e usos diferenciados. Digo que não existe uma época melhor e sim uma de cada geração. Temos que nos adaptar a cada dia, mês e ano...

Como dizia o músico Lulu Santos em uma de suas canções de grande sucesso: “Nada do que foi será, de novo do jeito que já foi um dia...”

6 comentários:

  1. o texto é engraçadíssimo, estou na geração do Sabones, acima dos 30 anos. Cara! viajei aqui qdo li seu texto. Parabéns!Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado amigo...pena q vc está anônimo...rsrsrsrs..daí não sabemos quem é, mas mesmo assim seja bem vindo ao blog...
    abraçãoooo!!!

    ResponderExcluir
  3. Ainda vou escrever sobre a minha infancia, nos anos 90. Quando eu queria ter vivido nos anos 80,por achar que era uma época muito mais legal, não percebia que uns 10 anos depois (nos anos 2000) sentiria falta do que vivi.
    Espero que leia. Devo postar logo logo.
    Inté!!

    ResponderExcluir
  4. olá Fabrício...quero ler seu texto.... mantenha-me informado, por favor! kkkk
    abração colega!

    ResponderExcluir
  5. Sabones, concordo em parte pois citando como exemplo as músicas, hoje em dia não se chega nem perto da qualidade que existia antigamente, música hoje é sinônimo de barulho, pouca coisa tem qualidade hoje em dia.

    Andinho, Sinop.MT

    ResponderExcluir
  6. Andinho!
    Bom receber vc aqui no meu blog... apareça sempre!
    abração

    ResponderExcluir