Blog do Sabones - Expediente

Blog do Sabones - Expediente

domingo, 7 de maio de 2017

Sucessos de Dalva de Oliveira são gravados por Max Roger




Projeto “O Regional e seu maestro” em tributo a cantora tem lançamento no Operário FC (Foto: Márcio Sabones)
Max Roger

Um jovem de apenas 23 anos de idade, o Max Roger que é cantor, músico, compositor e atual presidente do GRES Unidos do Caxangá de São João Nepomuceno buscou em uma pesquisa musical, canções de umas das maiores cantoras do Brasil, Dalva de Oliveira.
Foram meses de gravações e ensaios para o lançamento do CD e o show da noite do último sábado (06), no salão de festas do Operário FC e que contou com a participação dos músicos: Max (voz), Arnaldo Calegaro (sanfona e teclado), Marquinhos (bateria), Teci Luthier (violão e baixo) e Wilson Ramiro (baixo e guitarra). 


O Projeto “O Regional e seu maestro”, um tributo para a eterna estrela “Dalva de Oliveira” que estaria completando 100 anos de idade, no dia 5 de maio traz as características da cantora que encantou o país nas décadas de 50, 60 e 70 com uma linda voz, com letras de amor  e da “sofrência” dos tempos antigos. 

Dalva teve uma história de vida misturada ao sucesso, trabalho, perseverança e uma relação amorosa conturbada com o marido Heriberto Martins. Por duas ocasiões, na década dos anos 60, a cantora esteve em São João Nepomuceno, na antiga Rádio Difusora, localizada no 2º andar do prédio, onde atualmente temos o Museu Municipal, em programas de auditório, grandes sucessos na época.

A noite ainda reservou momentos de emoção e homenagens com vídeos que contavam a vida de Dalva de Oliveira, de Max Roger e de um depoimento gravado pelo neto de Dalva, Bernardo Martins que vive nos Estados Unidos e agradeceu a cidade pelo evento que honrava a carreira e a memória da avó. 

Max Roger e Nely Gonçalves
Max Roger e sua prima Nely Gonçalves que no domingo (07), completou 77 anos de idade receberam homenagens e as faixas de Rei e Rainha das marchinhas do carnaval são-joanense. Nely que acabará de recuperar de um sério problema de saúde e visivelmente mais magra agradeceu e ainda cantou uma de suas marchinhas.

“Estou muito satisfeita e honrada de estar participando e ainda sendo homenageada por esse menino talentoso. A morte quase me buscou, mas estamos aí. Meu Deus! São 77 anos...”, comentou a cantora que foi aplaudida de pé pelo público.

Max também agradeceu a surpresa e a homenagem e lamentou a ausência de um amigo e incentivador de seu trabalho, o showman Luis Quirino de Freitas, de 79 anos de idade, que está internado no Hospital São João com a saúde em observação. O evento seguiu com o tributo a Dalva de Oliveira com a venda dos CD’s pelo valor de R$ 10 (dez reais) e depois, num segundo momento serestas e forró para os convidados. Os interessados em comprar o CD, entre em contato com o número (32) 9 9937 8534.



 
Por Márcio Sabones
Fotos: Márcio Sabones

Nenhum comentário:

Postar um comentário