Blog do Sabones - Expediente

Blog do Sabones - Expediente

segunda-feira, 28 de março de 2011

ESCUTE: MÚSICA NA CHAPA



Olá pessoal!

Convido a todos a ouvir meu programa de rádio "Música na Chapa" pela Rádio Difusora de São João Nepomuceno.

A sintonia é 1420 khz - AM

o site: www.difusorasjn.com.br - pode ser ouvido e assistido

Horário: todos os sábados de 12h às 15h

Apresentação: Márcio Sabones

Entre no blog do programa: http://mchapadifusora.blogspot.com/

Teatro: CIA DE TETRO NOVOS HORIZONTES APRESENTARÁ “ENCENAÇÃO DA PAIXÃO DE CRISTO”

Os ensaios já começaram. Por várias décadas, a encenação faz parte do calendário cultural da cidade. A apresentação é única e acontecerá no dia 22 de abril (sexta feira da Paixão), às 19h, no adro da Igreja Matriz de São João Nepomuceno.

Ensaio no domingo (dia 27/03)

O diretor Nei Moraes sabe da importância do evento tanto para a Paróquia da cidade (e a organização da Semana Santa do município), quanto para a sua compania que conta com mais de cem participantes, entre atores e atrizes de todas as idades e dubladores, sonoplastas, contra regras e etc.

O diretor Nei Moraes acompanha ensaio

O espetáculo conta a vida já adulta de Cristo. Desde seu batismo por João Batista, os milagres, o lava pés, a última ceia, a traição de Judas, sua condenação, os castigos recebidos e sua crucificação. Até mesmo no ensaio é possível se emocionar com a atuação do excelente elenco. Destaque para o encontro de Jesus e sua mãe Maria – brilhantemente interpretados por Alessandro do Valle e Carla Gruppi.

Interpretação de Carla Gruppi e Alessandro do Vale

Na dublagem, Nei conta com os radialistas Luis Carlos Dutra, Írio Henriques, Amado Roberto e Márcio Sabones (Rádio Difusora), Adriana de Freitas (jornalista dos Jornais:Mundo Urbano e Rural) e Tatiana (estudante).



“Não é possível mudar a história de Jesus Cristo, mas podemos dar mais ênfase para algumas cenas, fazendo uso de excelente interpretação e efeitos de luz e som. É isso que procuramos melhorar a cada ano”. Nei Moraes - diretor da Cia de Teatro Novos Horizontes (SJN).




"Estou na dublagem pelo segundo ano consecutivo, é emocionante. Este ano também tocarei corneta no fim, desde os meus tempos de fanfarra no colégio que não tocava, faz uns vinte anos"
- disse Sabones

Direção de dezenas de artistas

- Os ensaios estão acontecendo no Adro da Igreja Matriz de São João Nepomuceno (local da apresentação) todos os domingos a partir das 14h. Confira algumas fotos dos ensaios.

quarta-feira, 23 de março de 2011

ADRIANO NO FLAMENGO - VAI OU RACHA

O título do texto é bem peculiar pelo momento. O atacante do Roma (Itália), Adriano é a mira dos torcedores rubro negros na mais nova polêmica da Gávea. Volta? Sim ou não?



Adriano é prata da casa e em 2009 foi campeão brasileiro com o clube carioca. Jogou a Copa do Mundo de 2006 como titular da seleção brasileira e está sem clube no momento. No futebol, além do gol, o que mais dá ibope são as contratações.

Dias atrás, o técnico do flamengo Wanderley Luxemburgo, declarou que não estaria de acordo do clube contratar o atacante, pois traria problemas ao grupo que se encontra tranquilo, invicto em 2011 e já campeão da taça Guanabara (1º turno do Cariocão).

Diante dessa novela fiz um texto opinativo sobre esta interessante questão:

Flamengo, oh glorioso Flamengo.

Tudo no Flamengo tem que ser maior, chamar a atenção. Causar falanteios e sempre, eu disse sempre ter a opinião do contra ou favor. Pois quando o assunto é Flamengo, não existe meio termo. É amor ou ódio.

Não entendo as pessoas menosprezarem a Taça Guanabara. Se fosse ruim vencê-la ninguém a disputava, igual a mulher feia né...rsrsrs... nesse torneio não tinha somente os times pequenos e sim os grandes tb.

O Flamengo fez o dever de casa. Ganhar! Coisa que Vasco, Fluminense e Botafogo não fizeram.
O time não é o melhor do mundo, mas é competitivo.
A suposta vinda de Adriano para a Gávea seria remediar a maior deficiência do time até então. O homem da área, o homem gol.

David, um santo homem, com a moral limpa não está rendendo. Negueba e Diego Maurício são excelentes jogadores, mas não são o camisa 9 que o time necessita. Vanderlei, o Renato gaúcho do séc. XXI, (risos) tem raça,dedicação, tem sorte mas está longe de ser o matador que os rubro negros querem.

Então, surge o Al Capone. Adriano. Vilão, sim. Mas craque de bola. Um time que tem Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves na armação, precisa ou melhor, merece um grande atacante.



O problema de Adriano é a mulherada, cachaçada e não a bola. Ele decide. Em 2009, veio para o Brasil desacreditado, pensando em fim de carreira. Voltou para o clube que o revelou e o Flamengo venceu o Campeonato Brasileiro depois de 17 anos. E detalhe: Adriano foi artilheiro.

Não estou fazendo defesa do que Adriano faz fora de campo e sim do que ele representa para o futebol. E o que já fez e pode fazer pelo Flamengo.

Que venha o Imperador!

sábado, 12 de março de 2011

A chuva e o carnaval

O título até parece uma pequena fábula ou até mesmo nome de algum samba enredo de Escola de Samba. Taí uma ótima ideia para o enredo de 2012. Carnaval foi em março e como já dizia o poeta Tom Jobim: “-São as águas de março fechando o verão...” – e coloca água nisso.



Aqui em São João Nepomuceno, o tradicional carnaval foi bem úmido. Na quarta feira (dia 02), teríamos a escolha da Rainha do carnaval na Praça Dr Carlos Alves a partir das 20h. Na ocasião, um brinde aos foliões com as apresentações das baterias de nossas escolas de samba também estava agendado. Tudo de bom se a chuva não entrasse de “bicão” na festa.

Não foi uma chuva qualquer. Foi daquelas que começou e parecia que nunca pararia, tendo de adiar o evento para o dia seguinte. Na quinta, o bloco do Zé Pereira fez seu animado desfile (sem chuva) saindo da Rua Nova, invadindo as ruas do centro da cidade até a Praça da Estação. Sem que ninguém entendesse, não aconteceu a escolha da Rainha do Carnaval e nem teve a tradicional Batalha de Confetes no palco do Carnaval. A sonorização do evento não estava instalada. Oh céus! A sorte foi que uma das barracas do carnaval comandada pela minha amiga “Gabi” colocou um “sonzinho” e foi a salvação daquela noite para os foliões, além da palhinha da banda do Zé Pereira no Botachopp.

A chuva fez o favor de voltar a cena na sexta feira, corri para o baile do preto e brando do Botafogo F.C. e as águas continuavam a cair em forma de garoas e as vezes pancadas mais acentuadas até a manhã de segunda feira. Resultado; não tivemos a Rainha do Carnaval 2011 de São João Nepomuceno. O desfile das Escolas de Samba que sempre acontecem em dois dias (domingo e terça feira), só aconteceu na terça para julgamento do concurso anual. Os blocos da Nação Rubro Negra, 4 Gerações, 3º Andar e Girafa foram prejudicados, por enfrentar fortes chuvas, mas não deixaram de sair. Mesmo com um número mais reduzido de foliões.



Não faltou brilho para os blocos, muito pelo contrário, capricharam em suas produções. Mas o fato é que vieram mais vazios. E menos pessoas puderam assisti-los. Os resistentes foliões lotavam o palco do carnaval para dançar ao som do DJ André Manzo e as bandas Tropicália, Água de Fogo e Top Hits; a segunda com um sugestivo nome da banda pela ocasião. Capa de chuva, sombrinhas, calças jeans e até blusas eram trajadas pelos amantes do carnaval. Um visual completamente diferente do que temos costume de ver.

Parecia que tudo estava perdido. O nosso carnaval estava estranho. Na cobertura da rádio Difusora anúncios de cancelamento dos desfiles das Escolas de Samba no domingo e previsão de chuva. Daí a pergunta: “- O que iríamos cobrir? Qual era a atração do carnaval?”

Chegou a segunda feira. Amanhecemos sem chuva, ufa! O dia nublado, mas nenhuma gotinha de água caia do céu. Era o tão esperado dia do Bloco do Barril, a maior atração de nosso carnaval. No início da tarde fui para a emissora de rádio, andei pelas ruas e a cidade parecia vazia. Começamos a cobertura às 15h na casa da Rainha do Barril, Gabriel Loures e fomos para a concentração do bloco na sequência. Estava vazio. Incrível! Vazio!

Como ex Rainha do bloco desesperei, mas contive minhas emoções ao entrar ao vivo dando às informações. A saída do Barril estava marcada para às 17h, e quando aproximou às 16h30min as pessoas começavam a chegar de todos os lados. Foi questão de tempo. Sem chuva. Em minutos, todo o centro da cidade estava lotado. Aquele era o Barril, o genuíno carnaval de São João Nepomuceno. A empolgação tomou conta de toda a equipe da rádio. Fizemos uma brilhante cobertura do bloco.

Ao meu ver, um acordo foi feito com São Pedro. Segundos antes do anuncio da próxima Rainha do Barril, no final do bloco, a chuva chegou – desta vez muito bem vinda para refrescar o forte calor daquela noite.



A parte mais dramárica ficou para a terça feira. O bloco da Girafa que completou 50 anos desfilou debaixo de muita chuva de novo e as Escolas de Samba desesperadas com a situação. Muita chuva. Muitas crianças em todas as agremiações. Gripes e pneumonias amedrontavam os pais. A pergunta: “- Terá desfile?”

O início do desfile estava marcado para às 21h com a ESACA, Esplendor do Morro e Caxangá respectivamente. Na cabine da Rádio Difusora instalada na Passarela do Samba iniciávamos a transmissão, aflitos e duvidosos de um provável cancelamento. O relógio marcava 20h30min. A ESACA estava com suas alegorias posicionadas na concentração, porém, notava poucos integrantes da verde rosa no local. Os jurados também não estavam presentes e nem o pessoal da ASES (Associação das Escolas de Samba). A chuva continuava a cair e pouquíssimas pessoas presentes para assistir os desfiles.

Mas, como se fosse mágica, a chuva parou de cair às 20h50min, os integrantes da ESACA chegaram, assim como o público, jurados e o pessoal da ASES. Tudo pronto. Quem estava atrasado era o pessoal da sonorização da passarela. Ao dar a luz verde, começaram os desfiles. Daí pra frente tudo correu bem, sem atrasos.

Ao comentar com o amigo Nei Moraes nos microfones da Difusora, uma surpresa atrás da outra. As escolas estavam lindas e brilhantes. O som das baterias fazia com que ninguém ficasse parado. Valeu a pena esperar. Um verdadeiro show de todos que incansavelmente trabalham pelas suas Escolas de Samba o ano todo. No último dia de carnaval um grande presente. O restante da noite sem chuva. Aí sim! Carnaval de São João!

Na quarta feira de cinzas a apuração das notas do desfile das Escolas na Rádio Difusora às 14h. Nossa equipe estava de prontidão para passar os resultados ao vivo. No final, a GRES Esplendor do Morro sagrou-se campeã do Carnaval 2011 de São João Nepomuceno. A ESACA vice campeã e Unidos do Caxangá em terceiro lugar. A torcida da tricolor da Santa Rita fez a festa na Praça Carlos Alves (frente da Rádio) e depois como um bloco subiu o morro e foi comemorar em sua sede.

Taí, esse foi um resumo do carnaval de 2011 em São João Nepomuceno, Minas Gerais. Até 2012.