Blog do Sabones - Expediente

Blog do Sabones - Expediente

sexta-feira, 20 de março de 2009

"A Ratoeira"


Um rato olhando pelo buraco na parede vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo em que tipo de comida poderia ter ali. Ficou aterrorizado quando descobriu que era uma ratoeira. Foi para o pátio da fazenda advertindo a todos: "Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa."
A galinha, que estava cacarejando e ciscando, levantou a cabeça e disse: "Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que é um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda."
O rato foi até o porco e disse a ele: "Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira."
"Desculpe-me Sr. Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranqüilo que o senhor será lembrado nas minhas preces."
O rato dirigiu-se então à vaca. Ela disse: "O que Sr. Rato? Uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!"
Então o rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro. Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando sua vítima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego. No escuro, ela não viu que a ratoeira pegou a cauda de uma cobra venenosa. A cobra picou a mulher. O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre.
Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja. O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.
Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la. Para alimentá-los o fazendeiro matou o porco.
A mulher não melhorou e acabou morrendo. Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca para alimentar todo aquele povo.

“Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito lembre-se que, quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre risco”.

terça-feira, 17 de março de 2009

"As baixarias dos Big Brothers por todo o mundo"


Na última segunda-feira (23), a sister Priscila, do BBB 9, deixou o pudor de lado e fez revelações polêmicas. Ela disse que se acha nota 10 na cama, já transou a três e até bateu no namorado.
Para alguns espectadores, esse tipo de exposição da privacidade só reforça a fama de “apelativo” ou “baixo nível” às vezes associada ao reality show. Mas muitos se surpreenderiam com baixarias bem piores que acontecem nas edições internacionais do “Big Brother”.

Existem 45 versões do Big Brothers pelo mundo. A maioria deles são edições nacionais, mas alguns agregam vários países, como os da África, dos Bálcãs, Pacífico e Escandinávia. O primeiro Big Brother foi ao ar em 1999, na Holanda.

Nos Estados Unidos, o prêmio é de 500 mil dólares. Na Inglaterra, de 100 mil libras (145 mil dólares). Em 2001, o prêmio do BB Austrália foi de 1 milhão de dólares australianos (650 mil dólares americanos). Porém, com o tempo o prêmio foi diminuindo e, em 2008, foi de apenas 250 mil (165 mil dólares). Na Argentina o prêmio também diminui. Nas duas primeiras edições foi de 200 mil pesos (70 mil dólares) e depois virou 100 mil pesos (30 mil dólares).

A seguir, exemplos chocantes do programa em outros países:

- No Big Brother Inglaterra, o participante Jason, vestindo apenas uma toalha, abraçou uma sister e ficou todo animado. Em vez de se refugiar das câmeras e dos olhares dos outros moradores, o fortão saiu pela casa, sem nenhuma reserva. A produção não perdoou e abusou de closes explícitos.

- Não é só no Brasil que já rolou sexo embaixo do edredom. No BB EUA, por exemplo, vários casais não tiveram pudores na casa – na nona edição do BB americano, Ollie e April fizeram sexo já na primeira semana e depois repetiram as cenas por várias vezes. No BB Dinamarca a coisa foi além. Em 2003, a confinada Sissel engravidou de Robert ainda na casa.

- No Big Brother Bulgária, em agosto de 2008, dois confinados deixaram o bate-boca de lado e partiram para um dos conflitos mais violentos de todas as edições do reality show no mundo inteiro. Um dos esquentadinhos chega a desferir 16 socos enquanto o rival ainda está no chão! E ninguém da casa interfere: o “deixa-disso” teve que partir da produção do programa.

- No Brasil a galera vive preocupada em não mostrar nada. Mas, na Europa, a coisa é mais liberal. Topless é até coisa corriqueira. No BB britânico, por exemplo, Mario ensaboou Lisa, sem sutiã e com a calcinha abaixada.

- Um escândalo atingiu o Big Brother Austrália em 2006. No meio da noite, um dos confinados segurou uma colega, enquanto o outro bateu no rosto da garota com o pênis. No dia seguinte, Ashley e John foram expulsos do programa.

- A fervidíssima Natalie, Big Brother EUA, também era chegada em presentear seus colegas de confinamento com um show erótico intenso. Às vezes, alegrava até três rapazes simultaneamente E, assim como Pri, também adorava uma calcinha vermelha – mas muito menor que a da brasileira.

- A segunda edição do Big Brother África teve um escândalo sexual ainda pior. Depois de muita bebida, duas sisters passaram tão mal que tiveram de ser carregadas para o quarto. Também bêbado, um confinado deitou no meio das duas, tirou a roupa delas, começou a acariciá-las e penetrou a vagina de uma das garotas com o dedo. A transmissão ao vivo foi cortada e médicos foram enviados para cuidar das confinadas. Mesmo assim, o brother Richard não foi expulso e ainda venceu o programa. Grupos de direitos das mulheres protestaram e até tentaram cancelar o BBA, sem sucesso.

- O Big Brother Arábia causou muito polêmica. Exibido em países muçulmanos, a casa era divida. Havia quartos, banheiro e salas de oração separados para homens e mulheres, que só podiam se encontrar no jardim e na cozinha. Cinco vezes por dia o alarme soava para que os confinados fizessem suas orações. Mesmo assim, houve muitos protestos quando um dos homens conseguiu se infiltrar no lado feminino e o programa foi cancelado depois de 11 dias no ar.

- No segundo Big Brother americano uma ameaça de morte desclassificou um participante. Justin pegou uma faca, encostou no pescoço de uma colega e perguntou: “você ficaria brava se eu te matasse agora?”. O malucão foi tirado da casa na mesma hora.

- No BBB, se um participante agredir outro fisicamente é imediatamente expulso do programa. Porém, na Europa Oriental, a porrada come solta. Nos Big Brothers da Rússia e Bulgária, por exemplo, os brothers trocaram socos e pontapés.

- No Big Brother Alemanha, Serafino e Steffi foram bem menos tímidos: o casal se atracou na banheira! A água não tapou nada e nem mesmo a chegada de outro brother inibiu o casal. O flagra chocou e dividiu a opinião dos alemães: para alguns, não aconteceu nada, já que Serafino está de sunga. Para outros, o sexo rolou sim, já que Steffi teria baixado a parte da frente da roupa de banho dele.

- Até mesmo em um país conservador como a República Tcheca, na segunda edição do reality show, dois garotos protagonizaram um beijo intenso, que causou ainda mais polêmica porque um dos rapazes, a princípio, resiste à pressão do colega. Depois, se entrega. No fim, sai rindo, cuspindo e limpando a boca, em tom de brincadeira.

AGORA EU PERGUNTO?
VOCÊ ACHA CERTO CRIANÇAS ASSISTIREM AO PROGRAMA?

"4º FESTIVAL DE TEATRO DE SÃO JOÃO NEPOMUCENO - MG"


APRESENTAÇÃO


O 4º Nepopó Féstivao (Festival de Teatro de São João Nepomuceno) acontecerá nos dias 10, 11, 12, 13 e 14 de junho de 2009 no Centro Cultural Gabriel Procópio Loures na cidade Garbosa.

Com a participação de dezenas de grupos, incluindo nossa cidade, região e até mesmo de outros Estados o evento estima em receber na edição deste ano um número superior de 400 artistas e público acima de 8000 pessoas, superando a edição de 2008 onde registramos mais de 350 artistas e público superior a 7000.

A cada ano, uma personalidade sãojoanense é homenageada pela organização do Festival e leva o nome do troféu. É uma forma de agradecimento encontrada para agradecer essas pessoas aos serviços prestados às artes cênicas de nosso município.

Em 2009, a homenageada é Dona Déia Verardo Loures, poetiza e colunista social de nossa garbosa, que por vários anos apoiou a prática teatral, destacando em suas colunas os trabalhos artísticos que eram encenados nos palcos de nossa cidade. Nos anos 80, quando esteve na presidência do Centro Cultural sempre zelou pelo espaço tornando-o um excelente local para as apresentações, usado pelos grupos GATA, Novos Horizontes e show dos alunos da Escola da Comunidade Dr Augusto Glória entre outros. O “lar da cultura sãojoanense” leva o nome do seu saudoso marido, o Gabi.

Para a realização deste ano, o GRUTA (Grupo de Teatro Amador) organizador das 3 edições anteriores conta com a ajuda dos grupos de São João Nepomuceno e apoio do Poder Público e parcerias com o comércio local. A tarefa é longa, muitos detalhes e capricho para receber os mais variados artistas no “maior evento cultural da Cidade Garbosa”. As inscrições terão início esta semana e terminarão no dia 22 de maio de 2009. Em seguida a grade de apresentações será divulgada nos sites www.nepopo.net e www.sjonline.com.br, nas emissoras de rádio Difusora AM, Criativa FM e Transamérica 91,7 FM e nos jornais locais como: “A Voz de São João”, “O Sul da Mata”, “O Calçadão” e “Mundo Urbano”.



HISTÓRICO


A primeira edição do Nepopó Féstivao aconteceu no ano de 2006 onde o homenageado foi José Luiz de Carvalho Nunes, grande incentivador do teatro em nossa cidade e fundador do GRUTA (1º edição) em 1977 que em 1986 passou a chamar GATA (Grupo Arte Teatro Amador). Zé Luiz morreu em 1996 deixando saudades eternas dos amigos e de sua esposa Sueli e filhos Júlio e Marcus. Nesse ano, nove grupos e nove espetáculos deram o “ponta pé inicial” ao evento disputando categorias tais como: Infantil, Comédia e Drama.

Em 2007, o Festival contou com 18 espetáculos e homenageou o ator Álvaro Barcellos (Cabral) que deslocou de São Paulo, cidade onde vive, e marcou presença na abertura. Ele foi aluno de Zé Luiz e membro do GRUTA e GATA até sua ida para a capital paulista onde atua na Cia Cênica Nau de Ícaros por quase 20 anos. Categorias como Infantil, Comédia e Drama e inseridas com Monólogo, Teatro de Rua e Tragicomédia deram novos horizontes ao Festival, tornando-o mais competitivo e glamuroso.

No ano de 2008, foi a vez de homenagear Nei Moraes (Wolney Fabiano) que por quase três décadas está a frente dos Novos Horizontes, grupo com o qual é diretor e produtor de peças como: “A paixão de Cristo”, Santa Rita, Noites Ciganas, Festa do Interior e etc. Um número de 24 apresentações e 14 horas de oficinas deram um tempero especial ao evento. Entre as categorias já destacadas acima, a novidade foi a entrada de “Teatro de Barzinhos” e “Bonecos”.


Para saber mais sobre o Nepopó Féstivao acesse aos sites www.nepopo.net e www.sjonline.com.br

segunda-feira, 16 de março de 2009

Quem foi melhor? Pelé ou Maradona?


Texto Rodrigo Cavalcante


“Pelé, lógico.”
Tostão, curto e grosso, em entrevista a jornalistas europeus na Copa da Alemanha do ano passado.



“Pelé foi o melhor que vi jogar.”
Franz Beckenbauer, ex-atacante alemão, que viu os dois jogar em carne e osso, para o site da Fifa, em 2006.



“O Maradona, porque ele é singular. Nunca vi tamanho talento em um campo de futebol. Ele era simplesmente impressionante.”
Zinedine Zidane, ao escolher os 10 jogadores com quem gostaria de jogar, para o site da Fifa, em 2006.



“Basta olhar os fatos, eu era nitidamente mais completo. Sabe quantos gols Diego (Maradona) fez de cabeça? Eu digo. Nenhum. Já Pelé fez 100. E com o pé direito? Eu ao todo marquei 1 281 vezes. O problema é que os argentinos não se conformam.”
Edson Arantes do Nascimento (Pelé), em entrevista à agência Ansa em outubro de 2005.



“Minha mãe acha que sou eu, e a mãe dele acha que é ele.”

Diego Maradona, após receber Pelé em seu programa de entrevistas na TV Argentina, eM agosto de 2005 .


"A verdade é que os dois foram sem dúvida gênios da bola e a decisão caiba a quem quizer é difícil, mas é fato que Pelé tem a maioria dos votos daqueles que mais entendem de futebol no mundo. O grande vencedor nessa história é o futebol. Iguais a eles, nunca mais."

sexta-feira, 13 de março de 2009

Recomeçar - Carlos Drumond de Andrade

"Não iмporтα ondє você pαrou.
Eм quє мoмєŋтo dα vidα você cαŋsou.
O quє iмporтα é quє sємprє é possívєℓ є ŋєcєssário rєcoмєçαr.
Rєcoмєçar é dαr uмα ŋovα cнαŋcє α si мєsмo.
É rєŋovαr αs єspєrαŋçαs ŋα vidα e, o мαis iмporтαŋтє.
É αcrєdiтαr єм você dє ŋovo.


Sofrєu мuiтo ŋєsтє período?
Foi αprєŋdizαdo.
Cнorou мuiтo?
Foi ℓiмpєzα dα αℓмα.
Ficou coм rαivα dαs pєssoαs?
Foi pαrα pєrdoá-ℓαs uм diα.


Sєŋтiu-sє só por divєrsαs vєzєs?
É porquє fєcнαsтє α porтα αтé pαrα os αŋjos.
Acrєdiтou quє тudo єsтαvα pєrdido?
Erα o iŋício dє тuα мєℓнorα.


Oŋdє você quєr cнєgαr?
Ir αℓтo?Soŋнє αℓтo.
Quєirα o мєℓнor do мєℓнor.
Sє pєŋsαмos pєquєŋo coisαs pєquєŋαs тєrємos.
Mαs sє dєsєjαмos forтємєŋtє o мєℓнor є priŋcipαℓмєŋтє ℓuтαrмos pєℓo мєℓнor.
O мєℓнor vαi sє iŋsтαℓαr єм ŋossα vidα.
Porquє sou do тαмαŋнo dαquiℓo quє vєjo.
E ŋão do тαмαŋнo dα мiŋнα αℓтurα."

sexta-feira, 6 de março de 2009

"Arnaldo Jabou sobre o MSN"


Sempre odiei o que a maioria das pessoas fazem com os seus MSN's. Não estou falando desta vez dos emoticons insuportáveis que transformaram a leitura em um jogo de decodificação, mas as declarações de amor, saudades, empolgação traduzidas através do nick.
O espaço 'nome' foi criado pela Microsoft para que você digite o nome que lhe foi dado no batismo. Assim seus amigos aparecem de forma ordenada e você não tem que ficar clicando em cima dos mesmos pra descobrir que 'Vendo Abadá do Chiclete e Ivete' é na verdade Tiago Carvalho, ou 'Ainda te amo Pedro Henrique' é o MSN de Marcela Cordeiro. Mas a melhor parte da brincadeira é que normalmente o nick diz muito sobre o estado de espírito e perfil da pessoa. Portanto, toda vez que você encontrar um nick desses por aí, pare para analisar que você já saberá tudo sobre a pessoa...
'A-M-I-G-A-S o fim de semana foi perfeito!!!' acabou de entrar. Essa com certeza, assim como as amigas piriguetes (perigosas), terminou o namoro e está encalhadona. Uma semana antes estava com o nick 'O fim de semana promete'. Quer mostrar pro ex e pros peguetes (perigosos) que tem vida própria, mas a única coisa que fez no fim de semana foi encher o rabo de Balalaika, Baikal e Velho Barreiro e beijar umas bocas repetidas. O pior é que você conhece o casal e está no meio desse 'tiroteio', já que o ex dela é também conhecido seu, entra com o nick 'Hoje tem mais balada!', tentando impressionar seus amigos e amigas e as novas presas de sua mira, de que sua vida está mais do que movimentada, além de tentar fazer raiva na ex.
'Quando Deus te desenhou ele tava namorando' acabou de entrar. Essa pessoa provavelmente não tem nenhuma criatividade, gosto musical e interesse por cultura. Só ouve o que está na moda e mais tocada nas paradas de sucesso. Normalmente coloca trechos como 'Diga que valeuuu' ou 'O Asa Arreia' na época do carnaval.
Por que a vida faz isso comigo?' acabou de entrar. Quando essa pessoa entrar bloqueie imediatamente. Está depressiva porque tomou um pé na bunda e irá te chamar pra ficar falando sobre o ex.
' Maria Paula ocupada prá c** ' acabou de entrar. Se está ocupada prá c**, por que entrou cara-pálida? Sempre que vir uma pessoa dessas entrar, puxe papo só pra resenhar; ela não vai resistir à janelinha azul piscando na telinha e vai mandar o trabalho pro espaço. Com certeza.
'Paulão, quero você acima de tudo' acabou de entrar. Se ama compre um apartamento e vá morar com ele. Uma dica: Mulher adora disputar com as amigas. Quanto mais você mostrar que o tal do Paulão é tudo de bom, maiores são as chances de você ter o olho furado pelas sua amigas piriguetes(perigosas).
'Marizinha no banho' acabou de entrar. Essa não consegue mais desgrudar do MSN. Até quando vai beber água troca seu nick para 'Marizinha bebendo água'. Ganhou do pai um laptop pra usar enquanto estiver no banheiro, mas nunca tem coragem de colocar o nick 'Marizinha matriculando o moleque na natação'.
' < . ººº< . ººº< / @ e $ $ ! - @ >ªªª . >ªªª >' acabou de entrar. Essa aí acha que seu nome é o Código da Vinci pronto a ser decodificado. Cuidado ao conversar: ela pode dizer 'q vc eh mtu déixxx, q gosta di vc mtuXXX, ti mandá um bjuXX'.
'Galinha que persegue pato morre afogada' acabou de entrar. Essa ai tomou um zig e está doida pra dar uma coça na piriguete que tá dando em cima do seu ex. Quando está de bem com a vida, costuma usar outros nicks-provérbios de Dalai Lama, Lair de Souza e cia.
'VENDO ingressos para a Chopada, Camarote Vivo Festival de Verão, ABADÁ DO EVA, Bonfim Light, bate-volta da vaquejada de Serrinha e LP' acabou de entrar. Essa pessoa está desesperada pra ganhar um dinheiro extra e acha que a janelinha de 200 x 115 pixels que sobe no meu computador é espaço publicitário.
'Me pegue pelos cabelos, sinta meu cheiro, me jogue pelo ar, me leve pro seu banheiro...' acabou de entrar. Sempre usa um provérbio, trecho de música ou nick sedutores. Adora usar trechos de funk ou pagode com duplo sentido. Está há 6 meses sem dar um tapa na macaca e está doida prá arrumar alguém pra fazer o servicinho.
'Danny Bananinha' acabou de entrar. Quer de qualquer jeito emplacar um apelido para si própria, mas todos insistem em lhe chamar de Melecão, sua alcunha de escola. Adora se comparar a celebridades gostosas, botar fotos tiradas por si mesma no espelho com os peitos saindo da blusa rosa. Quer ser famosa. Mas não chegará nem a figurante do Linha Direta.
Bom é isso, se quiserem escrever alguma mensagem, declaração ou qualquer coisa do tipo, tem o campo certo em opções 'digitem uma mensagem pessoal para que seus contatos a vejam' ou melhor, fica bem embaixo do campo do nome!! Vamos facilitar!!!!

terça-feira, 3 de março de 2009

"Do tempo da vergonha" (Por Marta Medeiros)

A gente costuma dar referências do "nosso tempo", como se o nosso tempo não fosse hoje. Sou do tempo do tênis Conga, da Família Do-Ré-Mi, da Farrah Fawcet, do Minuano Limão, e essa listagem alonga a estrada atrás de nós, faz parecer que somos de outro século. E somos.Eu sou do tempo de tanta coisa, inclusive do tempo em que as pessoas sentiam vergonha.

Você já deve ter reparado que a vergonha caiu em desuso, a nova geração não deve nem saber do que se trata. Mas a tia aqui vai explicar.Vergonha é o que você sente quando coloca em risco a sua dignidade. Por exemplo, quando pegam você mentindo. Ou quando flagram você fazendo uma coisa que havia jurado não fazer. Às vezes, a vergonha vem de atos corriqueiros, como um tropeção no meio de uma passarela ou uma gafe cometida num jantar. Isso não tem nada de grave, porém, se faz você sentir vergonha, sinal de que planejava acertar, o que é sempre bom.Vergonha de ser apresentada a alguém? De falar em público? Também é bobagem, ninguém espera de nós perfeição.

Isso é apenas timidez. Será que quem nasceu depois dos 80 sabe o que é timidez? Bom, timidez é um certo recato, é quando uma pessoa não faz questão nenhuma de aparecer. Não ria, isso existe.Mas voltando ao que nos trouxe aqui: vergonha é o que você deveria sentir quando faz algo errado. É o que deveria sentir quando se desresponsabiliza pelo que está desmoronando à sua volta. Vergonha é quando você se habilita para uma tarefa importante e descobre que não tem competência para executá-la. Vergonha é o que se sente quando interferimos na vida dos outros de forma desastrosa.

Vergonha é o que deveria nos impedir de praticar atos aparentemente inocentes, como chegar atrasado ao teatro quando a peça já começou, e nos impedir de coisas bastante mais sérias, como roubar.E há a vergonha sem culpa, a vergonha pelo que representamos coletivamente. Eu, ao menos, senti muita vergonha quando uma turista estrangeira, depois de ficar dois dias confinada num aeroporto brasileiro, sem conseguir embarcar, perguntou a um repórter o que significava o lema "Ordem e progresso" na nossa bandeira.

Muitos políticos (para citar uma classe trabalhadora aleatória) não têm vergonha. Possuem contas no exterior, assessores de marketing, mas vergonha, nenhuma. Posam para fotografias ao lado daqueles de quem já xingaram a mãe e aceitam o apoio de adversários que já lhes puxaram o tapete. Quando se trata de fazer alianças, a política, de um modo geral, revela-se um bordel, e perdão se estou ofendendo as profissionais do ramo. É bem verdade que restam dois ou três que têm a decência de dizer: prefiro não me eleger a jogar no lixo meus princípios.

Mas para se posicionar assim, é preciso ser do tempo da bala azedinha vendida em lata, do tempo do "Boa noite, John Boy", do tempo dos Novos Baianos, do tempo em que Páscoa significava ressurreição e do tempo em que existia vergonha, coisa que quase ninguém mais sente, poucos lembram o que é e ninguém se esforça para reavivar.